Curiosidades da semana

Ouro patriota no Cerrado (12.09.12)

Ipê amarelo / Tababuia alba
Foto: Oda Paula Fernandes

Nesta semana vamos falar do ipê, em especial, o ipê amarelo. Nativa do Brasil a Tabebuia alba, ou ipê – nome popular – é natural do semi-árido alagoano e tem até Decreto (nº 6239 do governador do estado de Alagoas) que transforma a espécie em ávore símbolo do estado. Apesar de ser uma espécie que se adaptou nas demais regiões, o ipê está na lista de plantas que corre risco de extinção.

No Distrito Federal a cor predominante dessa espécie é o dourado. Perfeito como os raios de sol forte, também muito comum no Planalto Central, o tom vibrante enfeitas diversos canteiros da cidade, quadras residenciais e o cerrado. Nas margens do Lago Paranoá há vários buquês nas ávores de ipê que encantam, além de abrigar insetos e pássaros, em especial o beija-flor quem é o maior responsável pela polinização.

Veja que bela coincidência. Repare que o azul do céu, o verde das árvores, o branco das nunvens e o amarelo dos ipês, nos remetem ao símbolo do nosso país, a bandeira nacional. E justamente no mês em que comemoramos a independência do Brasil, todas as flores dos ipês estão no auge da exuberância dessa árvore patriota.

 

Noivinha do Cerrado (07.09.12) 

Flor da cagaiteira
Foto: Oda Paula Fernandes

A cagaiteira floresce entre os meses de agosto e setembro e o Cerrado se enfeita com as flores brancas com leves tons de rosa. Nesses dois meses as folhas começam cair e as flores aparecem. Quando o pé de cagaita – nome popular – está florido, ele mais parece um buquê de noiva.

Cagaita madura
Foto: Oda Paula Fernandes

Típica do bioma cerrado, a cagaiteira tem fruto amarelo com polpa macia e suculenta. Com leve acidez, é excelente para sucos e sobremesas, como uma mousse, por exemplo. Mas tenha muito cuidado ao consumir essa fruta deleiciosa, pois o nome popular é por causa do efeito que causa, se ela for ingerida em grande quantidade.

Da família Myrtaceae, a Eugenia Dysenterica DC. ou cagaita, pode provocar reações de diarréia. Como a natureza é perfeita, ela é também o remédio, uma espécie de antídoto aos desavisados. Para reverter os efeitos do consumo exagerado da fruta, basta tomar o chá feito com as folhas da cagaiteira.  Então o melhor mesmo é evitar  as frutas que estão expostas ao sol e quentes.

De acordo com a medicina popular, o chá das folhas da cagaita serve para curar dores nos rins. Edsonina Oliveira, 85 anos, usa o chá das folhas de cagaita e garante que tem resultados positivos.“Eu faço o chazinho e tomo, com açúcar. É diurético e por isso limpa os filtros. Uma xícara de chá por dia durante quatro dias filtra as impurezas dos rins”, afirma.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s